Cachoeira do Sul-Área do Porto receberá melhorias visando turismo e lazer
 

Cachoeira charqueada

Na manhã desta sexta-feira (21), os diretores das secretarias de Agricultura e Pecuária e Interior e Transportes, respectivamente Diego Cruz e Gabriel Wioppiold, fizeram uma visita técnica para definir as ações de melhoria na área do Porto do Jacuí, visando o fluxo turístico e de lazer no local. “Recebemos uma determinação do secretário Ronaldo Tonet para melhorarmos a estrada de acesso ao porto, bem como a retirada de areia depositada pelas enchentes na plataforma além de roçada geral, com ênfase no entorno do prédio da antiga Charqueada do Paredão”, informa Cruz.

Mutirão entre secretarias

Os trabalhos serão feitos em mutirão entre as duas secretarias, otimizando pessoal e equipamentos para que não haja prejuízo aos trabalhos de apoio a agricultura familiar ou de recuperação de estradas e pontes. Outras secretarias, como Obras e Meio Ambiente, serão convidadas a participar do esforço de revitalização. “Nosso objetivo é reinserir a área do Porto como alternativa de visitação turística e lazer” explica o secretário de Desenvolvimento Ronaldo Tonet.

Vandalismo

O diretor do Interior, Gabriel Wioppiold, se disse chocado com as marcas que o vandalismo já deixou no prédio de 140 anos da antiga charqueada. “Esta foi a primeira vez que estive no local e fiquei triste de ver desguarnecido um patrimônio arquitetônico tão significativo a mercê de bandidos, que parecem sentir prazer em destruí-lo” lamenta Wioppiold. A área do Porto de Cachoeira do Sul e suas benfeitorias é responsabilidade da Superintendência do Porto de Rio Grande como sucessora da extinta SPH.

Charqueada e Estabelecimento Paredão

Considerada a primeira indústria de grande porte de Cachoeira do Sul, a Charqueada do Paredão foi inaugurada em 1878 pela empresa inglesa Brazilian Extract of Meat and Hyde Factory Ltd., exportando seus produtos para o mercado interno e externo do Brasil. Em 1920 foi adquirida pelo médico e fazendeiro cachoeirense Balthazar de Bem e encerrou suas atividades no início da década de 1930, quando a indústria do charque entrou em decadência.